Gastronomia

A Praia da Pipa, com sua variedade gastrônomica, soube agarrar o turista pelo seu ponto mais vulnerável: o estômago, órgão extremamente sensível e afetuoso que só se rende à uma boa mesa.

O charme gastronômico da Pipa reside justamente no fato de a rua principal (Av. Baia dos Golfinhos) e vicinais se assemelhares a uma rústica praça de alimentação, daquelas que se vêem em shopping centers, só que com uma autenticidade e criatividade únicas. De um só relance, pode-se encontrar iguarias que vieram de muito longe - a culinária francesa, italiana, alemã, japonesa, suíça - e petiscos da terra, tão regionais quanto eu, você e o caldinho de camarão.

Pipa tem a sedução do sabor em cada uma de suas curvas, como uma mulher maravilhosa. Oferece a delicadeza de um crepe, a objetividade de um sanduba, a suculência de carnes nobres, o conforto de uma pizza e a elaboração de um cardápio francês. Para quem não quer desgrudar da praia nem por um minuto, a delícia que é sentar nos bares, tomar choveirada alternando com um mergulho no mar, e mandar ver: cerveja gelada, carangueijo, peixe, camarão, bolinho de bacalhau.

A Praia da Pipa, norte-riograndense por localização, parece baiana na tessitura de seus sabores, parece pernambucana na qualidade de sua mesa, parece que pertence mesmo ao mundo, de tão gostosa que é.

Fonte: Flávia de Gusmão - Crítica de Gastronomia - Jornal do Commercio - Recife - PE